Hoje em dia, qualquer empresa precisa ter algum grau de dinamismo e inovação para se destacar. É preciso ter flexibilidade para lidar com os desafios do dia a dia, para crescer, para lucrar.

Dependendo do caso ou do tipo de empresa (ou de inúmeros fatores, na verdade), a estrutura organizacional tradicional, com todos os setores verticalizados sob a mesma administração, pode tornar a atuação engessada demais – gerando burocracia e perdendo eficiência. Muitas empresas já estão apostando nas estruturas em rede, através de parcerias ou terceirização. E a nova Lei da Terceirização vem contribuindo para esse formato.

Mas o que você deve fazer, contratar ou terceirizar? É claro que os dois lados têm suas vantagens e desvantagens, e estamos aqui para tentar ajudá-lo nessa decisão.

Terceirizar: as vantagens

Usar trabalhadores terceirizados é geralmente uma forma de buscar flexibilidade, e está se tornando uma opção cada vez mais comum entre as empresas. Ao terceirizar, as organizações conseguem desmontar suas estruturas internas e ganhar agilidade na tomada de decisões, encontrando maior facilidade para estruturar departamentos e conduzir o dia a dia.

Há também o equilíbrio financeiro. A terceirização permite o corte de uma série de despesas trabalhistas, e uma diminuição considerável na burocracia e na demora envolvidas nas contratações em carteira. além de uma redução significativa dos gastos com infraestrutura interna – no caso de se terceirizar a limpeza, por exemplo. Também melhora a previsibilidade do orçamento, pois os encargos com o pessoal terceirizado são de responsabilidade da prestadora do serviço – e isso pode contribuir bastante para o planejamento estratégico da empresa.

E, com a terceirização, a empresa fica muito mais “leve”: sai de seus ombros uma carga descomunal, que inclui contratações, rescisões, férias, treinamentos, promoções e muito mais. Terceirizando, o desperdício de mão de obra – intelectual e braçal – é expressivamente menor. A soma de todos esses fatores faz com que a empresa consiga focar melhor em suas atividades principais e ganhe em produtividade.

Aqui vale lembrar que a nova Lei da Terceirização amenizou a responsabilidade subsidiária, mas não a eliminou. Ou seja, se a empresa prestadora do serviço de terceirização não conseguir pagar os encargos do funcionário terceirizado, a empresa tomadora ainda pode ser acionada na justiça se todos os recursos frente à prestadora se esgotarem.

Terceirizar: as desvantagens

Não é incomum haver problemas de comunicação entre os trabalhadores terceirizados e os profissionais contratados pela empresa, o que pode atrapalhar a integração das atividades. É preciso ficar atento a isso na hora de terceirizar serviços, para não permitir que o distanciamento de equipes externas afete o desempenho geral das atividades.

Outro ponto que exige atenção é o grau de controle sobre as atividades da empresa. É óbvio que esse controle é menor quando usamos equipes terceirizadas, mas nada que não seja possível contornar ou reverter com uma boa gestão e processos bem definidos. O ideal é evitar terceirizar atividades-fim – aquelas que fazem parte do objetivo principal da empresa –, para garantir o monitoramento adequado e a obtenção de bons resultados.

Contratar: as vantagens

Claro que nem tudo pode ser terceirizado, e essa decisão depende de vários fatores. Dependendo do tipo de empresa, do nível de controle que ela precisa sobre seus processos, possuir diversos departamentos internos pode fazer mais sentido estratégico do que a flexibilidade da terceirização – como no uso de informações sigilosas, por exemplo. O monitoramento direto dos funcionários pode facilitar a cobrança de resultados e aumentar o controle sobre cada ação, conferindo maior precisão à gestão dos processos internos.

A contratação traz outros dois benefícios importantes: o comprometimento e a integração. Quando a empresa consegue motivar seus funcionários e manter um clima positivo, as equipes sentem fazer parte de algo maior e se comprometem com afinco a atingir as metas definidas. Da mesma forma, trabalhadores internos podem ter mais facilidade para se integrar e trabalhar em conjunto, com os diferentes departamentos trocando experiências e informações de forma mais orgânica e promovendo a comunicação.

Contratar: as desvantagens

O custo é provavelmente a maior desvantagem do regime CLT. Contratar costuma ser uma opção mais cara, especialmente no Brasil – aqui, devido aos encargos trabalhistas, um funcionário pode custar ao empregador mais do que o dobro de seu salário em carteira. Some-se a isso a burocracia e a demora para se contratar, além dos gastos e riscos de uma rescisão, e vemos na terceirização um sistema muito mais dinâmico. Rescindir um contrato de terceirização envolve muito menos burocracia e riscos do que demitir um funcionário com anos de casa.

Além disso, empresas com estrutura interna grande demais correm o risco de se tornarem rígidas demais, enfrentando mais dificuldades para se adaptar rapidamente ao mercado. Quem tem todos os departamentos possíveis sob seu comando precisa sempre investir em capacitação e treinamentos variados, o que pode desviar o foco de seu negócio principal e nem sempre funciona.

Enfim, qual é a melhor opção?

Hoje em dia, e principalmente após a aprovação da nova Lei da Terceirização, terceirizar é uma alternativa que possui muitos benefícios e deve ser considerada por todos, independentemente do tamanho da empresa. É crucial analisar o seu caso específico, e não o de outras organizações. A terceirização vai trazer vantagens para o seu negócio? Vai gerar mais competitividade? Vai proporcionar uma redução de despesas? Vai lhe conferir tempo para focar no que é mais importante para você? Pense bem, avalie todos os cenários e veja qual opção é a mais apropriada para cada setor de sua empresa.

Terceirizar apenas para reduzir custos é um erro. É muito importante que você atente para todos os fatores envolvidos nessa decisão, de forma a não comprometer sua marca e a qualidade de seu serviço.

E atenção: ao decidir pela terceirização, procure uma prestadora reconhecida no mercado, com comprovada qualificação técnica e transparência nas negociações – tudo para evitar surpresas e garantir a sua eficiência e produtividade.

Compartilhe a história